terça-feira, 26 de julho de 2016

Como fazer o filho emagrecer

De acordo com dados da Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República do Brasil 7,3% das crianças no país estão acima do peso desejável para sua idade. O número é ainda maior na faixa etária de cinco a nove anos, quando o percentual sobe para 33,5% de toda a população na mesma faixa. Esses dados não se restringem apenas ao Brasil, a obesidade é um problema mundial desde os anos 1990. Transformar essa realidade da gurizada não é nada fácil. Os pais sabem da dificuldade de negar ou adicionar os alimentos nas refeições.

Existem algumas dicas dos profissionais da área da saúde que poderão ajudar na árdua tarefa da perda de peso infantil. Confira:


1-A comida não pode ser recompensa
Comidas, principalmente doces, guloseimas e coisas do tipo nunca devem ser usadas para barganhar atitudes dos filhos. Isso faz com que as crianças estejam mais focadas em comer do que realizar de boa vontade as tarefas que lhes são pedidas. Ao mesmo tempo as comidas gordurosas se tornaram um ponto positivo e um desafio aos olhos delas, duas palavras que crianças adoras. Por tanto, cuidado!

2- Olhe para si mesmo
Para que a alimentação das crianças mudem toda a casa precisa adotar mudanças alimentares. De nada adianta forçá-los a comer uma pratada de alface, aipim e feijão enquanto o resto da família está comendo carnes gordurosa e repetindo mais de uma vez os pratos de sobremesa. Dê o exemplo.

3- Crie uma rotina sólida
É comum que as crianças queiram deixar de comer para brincar ou então atrasar as refeições por esse motivo. Evite ao máximo que isso aconteça. Ao criar uma rotina de alimentação elas passam a entender que isso deve fazer parte de seus dias e, ao mesmo tempo, evita que na próxima vez que forem comer estejam com muita fome e, por tanto, comam de forma ansiosa, exagerando na quantidade de alimentos.

4- Conferir e regular a alimentação
A alimentação da criançada deve estar sempre dê olho, evite os doces e guloseimas a mostras pela casa e crie um cardápio para eles. Confira aquilo que têm comido na escola de refeição e lanches e se for necessário, interfira.

5- Não os force a comer. Faça a alimentação ser algo agradável
A principio mudar a alimentação não será fácil, por tanto é sempre bom ter cautela, pois forcá-los a comer alface de cara não será a melhor maneira de convencê-los. E se eles associarem o verde a coisa ruim aí ficara ainda mais difícil. Por tanto, promova brincadeiras com as comidas ou ainda faça-os cozinhar de forma divertida. O alface que com a imaginação da criança foi transformado em uma árvore pode ser muito mais interessante.


6- Farinhas para emagrecer
Para as crianças que já criaram  o hábito de comer demais procure adicionar em sopas, sucos entre outras comidas farinhasque ajudam a emagrecer. Elas criam a sensação de saciedade e ao mesmo tempo possuem nutrientes, fazendo com que não seja necessário comer tanto. 

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Alimentação vegana para crianças. É possível?



Em contraposição aos hábitos alimentares da maioria da população, existem cada vez mais adeptos ao veganismo. As crianças também entraram na onda , e como toda e qualquer inovação o assunto tornou-se polêmico aos olhos de muita gente.  Alguns dizem que não é possível a alimentação saudável sem nenhum alimento de origem animal, outros afirmam que é possível substituí-los e ainda garantir maior integridade devido a ausência de hormônios provenientes de carnes e ovos. 

O fato é que aderir a alimentação vegana não é uma tarefa fácil, ainda mais para as crianças. Em Milão, na Itália um casal chegou a perder a guarda de seu filho de 14 meses devido a má alimentação vegana, que acabou causando problemas de saúde ao bebê. A criança sofria de fraqueza e pouco peso.
  
Nutricionistas publicaram um artigo ainda em 1988 no Jornal Americano Clinical Nutrition que é completamente possível oferecer uma alimentação vegana e promover o crescimento normal de um indivíduo. No entanto, ele deve ser acompanhado de um profissional da saúde, pois existem diversos adendos a qual deve-se estar atento:
Alimentação vegana tem muitas calorias
A maioria dos alimentos que não tem origem animal possui enormidade de calorias, principalmente os da ordem dos carboidratos. Para uma criança, isso pode ser um ponto muito perigoso, pois as crianças (ao contrário dos adultos) precisam ingerir gordura. Coisa que apenas vegetais e frutas não suprem.

Necessidade de cálcio
A maior parte da necessidade de cálcio para crianças é suprida pelo leite e ovo. Como em dietas veganas não é possível se alimentar de nenhum destes dois alimentos é preciso aliar a alimentação suplementos de cálcio.

Procurar alimentos com vitamina B12
Alimentos de origem vegetal possuem baixa quantidade de vitamina B12, ideal pra o bom desenvolvimento do cérebro. Essa dificuldade tem sido mais facilmente suprida pelos fabricantes de produtos orgânicos e veganos, que passaram a adicionar vitaminas tal como a B12 nos alimentos. Por isso, procure embalagens que possuam essa adição.

Não se esqueça das proteínas
A falta de carnes na alimentação pode causar a falta de proteinas, ideal para o fortalecimento dos músculos das crianças, cabelos e unhas. Produtos com soja e alguns legumes como o brócolis são ótimos para suprir. No entanto é sempre bom estar atento ao alto consumo de soja, pois o alimento possui altas doses de hormônio feminino, por tanto o consumo deve ser mais equilibrado para os meninos.